Mundo da Música

DJs mais populares do Brasil levarão eletrônica para palco do Festival de Verão

Vintage Culture e Alok fazem show nos dias 16 e 17 de dezembro, na Arena Fonte Nova

Redação iBahia ([email protected])

Palco de grandes nomes da música nacional e internacional, o Festival de Verão de Salvador já misturou os mais diversos ritmos e, pela primeira vez, receberá a música eletrônica em seu palco principal. A 19ª edição da festa, que acontecerá nos dias 16 e 17 de dezembro, na Arena Fonte Nova, terá shows de Vintage Culture e Alok. Os dois DJs são os mais populares do Brasil.

No sábado, quem comandará a atração será Vintage, que é considerado o dj número 1 do Brasil atualmente. O jovem de 23 anos começou a fazer sucesso há quatro anos e hoje é um dos produtores brasileiros do gênero house music mais conhecidos do país. O estilo musical dele é descrito como uma infusão de Big Room com Deep House, gênero que domina as festas e baladas do Brasil cada vez mais. Suas influências vêm dos anos 80, e seus primeiros sucessos a ficarem conhecidos foram remixes de canções como 'Blue Monday', do New Order, e 'Another brick in the wall', de Pink Floyd. A sua versão de 'Bete Balanço', do lendário Cazuza, também é uma das campeãs de acessos no YouTube.

Dois anos depois de iniciar o seu projeto, em 2015, o sul-matogrossense realizou sua primeira tour internacional, passando por países como Egito, Emirados Árabes, Turquia, Irlanda, Espanha e Bélgica. No ano seguinte, o dj apareceu em 54º lugar na lista de Top 100 DJs da publicação britânica DJ Mag, referência no mundo inteiro. Em 2017, ele ultrapassou o brazilian bass do goiano Alok e se tornou o número 1 do Brasil, eleito pela revista House Mag.

Já no domingo, o dono dos hits 'Hear Me Now' e 'Fuego', Alok, promete empolgar muito os amantes da música eletrônica no Festival de Verão. O goiano se consagrou neste ano com o 19º lugar no ranking da revista DJ Mag, a maior referência mundial quando o assunto é EDM.

Em recente entrevista ao iBahia, o dj, que começou sua carreira aos 12 anos, falou sobre a música baiana como referência em hits. "Tudo da nossa música já tem alguma coisa da Bahia. A essência da música brasileira tem essa influência baiana, inclusive eu acho que o swing da música eletrônica, o groove, é também muito influenciado por esse swing da Bahia", contou ele.

Precursor do estilo Brazilian Bass, ele defende o equilíbrio para minimizar a pressão dele em ser o mais requisitado do país: "é uma responsabilidade que a gente carrega. Mas o fato de a nossa música ser a mais tocada do Brasil e do mundo, me dá o suporte necessário para eu carregar essa responsabilidade. Complicado seria se eu fosse o número 1 e não correspondesse a isso. Ter músicas que bombam tira um peso enorme das minhas costas e faz tudo fazer sentido".